Carnes Para a Feijoada [07 Variedades]

Veja as Receitas de Carnes Para a Feijoada Ficar uma Delícia

Para escolher, corretamente, as carnes para a feijoada, você precisa buscar ideias esclarecedoras sobre todos os ingredientes que farão parte do prato que você pretende elaborar. O cardápio poderá ser variado conforme as suas escolhas.

Há quem vá até o supermercado e opte em comprar carnes para a feijoada naqueles pacotes prontos que são mais práticos e que indicam os ingredientes da feijoada. Fuja disso! Recomendo que compre peça a peça.

Outra questão importante na hora da compra é saber identificar se a carne está boa. Daí a importância do seu conhecimento culinário em torno do que você se propõe a fazer. Afinal de contas, estamos falando de um dos pratos mais queridos e mais populares no Brasil!

Ao longo de sua história, sua receita recebeu variações e fama no mundo inteiro, se tornando um dos mais importantes símbolos da culinária e da cultura do Brasil e no exterior.

A importância da feijoada na culinária brasileira é o resultado da combinação de sabores, criada pelos ingredientes que a compõe. Entre as carnes utilizadas na receita estão a linguiça calabresa, paio e a portuguesa, a tradicional carne seca, o bacon e diversas partes do porco, como lombo, costela, pé, orelha e rabo.

Carnes Para a Feijoada

Carnes Para a Feijoada – As Mais Indicadas

Existem três tipos de carnes secas no Brasil que são as mais usadas no preparo de feijoada:

Carne Seca

Essa iguaria faz parte da alimentação de todos os brasileiros. A técnica para a cura dessa carne é antiga, feita por meio da salga, que permite estocar a carne por períodos maiores de tempo, mesmo sem geladeira. Preparada com coxão duro, coxão mole e braço bovino.

Ela é mais seca e mais salgada que a carne de sol, muitos gostam de usá-la como recheio em empadão ou pastel. Este tipo de carne é produzido em escala industrial e leva os conservantes como o nitrato que a deixa com o aspecto mais avermelhado.

Carne de Sol

Pesar do nome ela nem sempre é seca ao sol, podendo ser curada no sereno. A carne é aberta em mantas finas de mais ou menos 4cm e salgada com sal refinado e deixada para secar por três dias.

Costuma-se usar cortes bovinos de primeira como coxão mole, coxão duro, patinho e lagarto.

Charque

Geralmente feito com carnes de segunda como ponta de agulha e outras partes dianteiras do boi. Ela é bem mais rústica e desidratada que a carne seca e é feita com carnes menos nobres. Ela tem sabor bem pronunciado e tem veios de gordura bem expressivos.

Não se sabe bem ao certo a origem da linguiça. A história mais certa do surgimento da linguiça é devido a necessidade de conservação dos alimentos. Como antigamente não existia geladeira, muitos alimentos eram misturados no sal junto com a tripa que servia para envolvê-los, sendo utilizados como mais uma forma de proteger a carne.

Hoje existem mais de 400 tipos de linguiça em todo o mundo. A iguaria é fonte de minerais, ferro e proteínas e rica em gorduras. Por isso recomenda-se o uso moderado.

Entende-se por linguiça o produto cárneo industrializado, obtido de carnes de animais de açougue, adicionadas ou não de tecidos adiposos e temperos.

No entanto, há uma diferença muito grande entre as diversas variedades de linguiças existentes no mercado devido a composição do alimento e das técnicas de fabricação.

→ Linguiças

Linguiça Calabresa

É o produto obtido exclusivamente de carne suína, curado e adicionado de ingredientes, deve ter o sabor picante característico da pimenta calabresa. Pode ser feita também com carne de boi, frango ou mista, sendo essas última muito utilizadas em churrascos.

Essa linguiça é submetida ao processo de estufagem ou similar para desidratação e/ou cozimento. Já o processo de defumação é opcional.

De origem portuguesa, foi adotada pela culinária brasileira , se tornando fundamental tanto para a cozinha mineira quanto para a nossa feijoada.

Linguiça Portuguesa

Também é obtida exclusivamente de carnes suínas, curada e adicionado de ingredientes. É obrigatoriamente submetida a ação do calor com defumação. Tem sabor acentuado de alho. Uma verdadeira delícia!

Linguiça Paio

É obtido de carnes suínas e bobinas embutidas em tripas natural ou artificial comestível. Também é curado e adicionado de outros ingredientes e submetido a ação do calor com defumação.

De origem portuguesa, mas o seu ingrediente principal é o lombo do porco, que a torna como um dos enchidos mais populares. Como condimentos inclui a massa de pimentão, o alho e o sal que fazem toda a diferença na feijoada.

→ Carnes de Porco – Verdades e Mitos

Há um mito de que carne de porco faz mal. No passado o porco era criado sem cautela. Hoje o suíno é criado sob condições higiênico-sanitárias cada vez mais rígidas. Antes abatia-se um porco com 250kg. Hoje abate-se com 90kg, pois o foco são as carnes e não mais suas gorduras.

Do porco tudo se aproveita. Ele possui muitas proteínas, aminoácidos essenciais, vitaminas, minerais e lipídeos muitos energéticos, incluindo ácidos graxos essenciais.

Costelas de Porco

É um alimento rico em vitamina B1, ou tiamina, tem baixo teor de açúcar. O consumo da costela de porco ajuda a superar o estresse e a tensão. Ou seja, não precisa mais sentir peso na consciência quando for comer as costelas do outback com aquele molho barbecue marabilhoso! =)

Lombo de Porco

Rico em Vitamina B3, B1 e boa quantidade de proteínas, ajuda na construção muscular, A vitamina B3 ajuda a combater doenças como diabetes, artrite.

Pé, Orelha e Rabo

O pé tem pouca gordura e mais osso. A orelha e o rabo é que possuem mais gorduras e também muitas proteínas fundamentais para o organismo.

Boa feijoada!

Como Fazer Feijoada Rápida e Fácil (VÍDEO)

Aprenda a Fazer Feijoada Sem Ficar Salgada (VÍDEO)

Como Fazer Feijoada Simples (VÍDEO)

Você Também Vai Gostar De…

Carnes Para a Feijoada [07 Variedades]
10 (200%) 4352 votos

Recomendados para você:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*